terça-feira, 24 de maio de 2011

Alunos surdos têm inclusão no EAD


Alunos surdos têm inclusão no EAD
Maria Lúcia, Ingrid e Guilherme são colegas de turma do curso de Pedagogia do polo de Vitória (ES) do Ensino a Distância da Unopar Virtual. Além do curso escolhido, eles têm uma outra coisa em comum fazem parte de um grupo de alunos com deficiência auditiva que está estudando com a ajuda de um intérprete em Libras.

Os cursos de Ensino a Distância da Unopar promovem a inclusão social para alunos surdos por meio de tradutores do Português x Libras. Dessa forma a Universidade proporciona uma integração lingüística entre surdos e ouvintes em tempo real, no momento em que a aula está sendo transmitida e permite que a pessoa surda tenha pleno acesso a todo conteúdo oferecido pelo curso de graduação.

O tradutor participa da tele aula que é gerada em Londrina e transmitida para 450 unidades polos distribuídas por todos os estados brasileiros. A iniciativa da Unopar oferece oportunidade de realizar a graduação nos cursos de Serviço Social, Administração, Pedagogia, Análise e desenvolvimento de sistemas, Recursos Humanos e Gestão Ambiental. Atualmente a instituição tem 40 alunos surdos.

Para implantar esse projeto a Universidade buscou profissionais capacitados, tradutores especializados formados em Pró-libras do Ministério da Educação - MEC ou o Libras da FederaçãoNacional de Educação e Integração dos Surdos – Feneis. A equipe de linguagem de sinais desenvolve a tradução de uma língua oral-auditiva, o português, para uma língua gestual-visual que é a Libras, levando-se em conta todos os aspectos morfológicos, semânticos, sintáticos e fonéticos necessários para possibilitar o melhor aproveitamento do aprendizado do aluno.

Chance de estudar

Atualmente quatro tradutores trabalham na Unopar Virtual. Para Antonio Nilson Alves Viana, que tem 10 anos de experiência na área, essa iniciativa é muito boa devido à inclusão dessas pessoas no acesso a educação. “Acredito que o intérprete valoriza a oportunidade de estudo para essas pessoas”, afirma.

O aluno ainda dispõe do material da tele aula para complementar o estudo, através do Ambiente Virtual de Aprendizagem com os vídeos das tele aulas traduzidas gravadas e da Biblioteca Virtual.
No polo da Unopar Virtual de Vitória (ES) além do tradutor da tele aula há mais dois intérpretes dentro da sala. No Sistema de Ensino Presencial Conectado o aluno vai até o polo uma vez na semana para assistir a aula gerada em Londrina (PR).
A intérprete Elizabeth Matos Ribeiro participa das aulas e fica feliz em poder auxiliar os alunos, ”Acho gratificante poder contribuir com o aprendizado desses alunos”, completa.

Os alunos Maria Lúcia Mai, Ingrid Cristina Amorim e Guilherme Boechat Fanticeli, já trabalham como interpretes e concordaram que o EAD foi uma excelente oportunidade para realizar um curso de graduação pela praticidade do horário de estudo e pela presença do intérprete. “Tenho muita dificuldade com as palavras e o tradutor me auxilia muito no curso”, afirma Maria. Ela conta que não tem muito tempo livre e dessa forma conseguiu se organizar. Ela trabalha na Secretaria de Estado da Educação (Sedu) e quer terminar o curso de pedagogia para continuar trabalhando no ensino com surdos.

A aluna Ingrid Cristina Amorim ensina Libras para alunos ouvintes na Escola Oral Auditiva.  A expectativa dela após terminar o curso é trabalhar ensinando crianças surdas. Para ela, a presença da intérprete é fundamental. ”Tenho muita dificuldade de me entrosar, com a presença da intérprete me sinto mais segura e consigo me expressar melhor”, afirma.

“Eu acho que o surdo precisa muito de motivação, sempre converso com meus amigos sobre isso, o surdo precisa de uma formação para ajudar outros surdos. Muitos surdos têm uma postura acomodada por receberem a aposentadoria do governo, mas têm que estudar para melhorar a qualidade de vida, de mesma forma que uma pessoa ouvinte”, completa.

A dificuldade de se relacionar com a turma, também é o caso do aluno Guilherme Boechat Fanticeli, instrutor de alunos surdos que também trabalha na Sedu. Ele também se sente mais confortável com a presença da tradutora. “Tenho muita dificuldade de interagir com a turma e ela me ajuda muito nesse sentido”, conta.

A história de superação dos três alunos de Vitória (ES) é semelhante à de muitas pessoas surdas e serve de exemplo. Os três alunos têm muita força de vontade para enfrentar novos desafios. Todos concordam que após o curso se tiverem a oportunidade pretendem realizar uma pós - graduação na área e reafirmam seu interesse em continuar trabalhando com o ensino direcionado para surdos.

Responsabilidade Social

A Coordenadora do Curso de Pedagogia da Unopar, Melina Klaus, acredita que a inclusão desses alunos remete à missão de gerar e aplicar conhecimento em benefício de todos, por meio de uma educação socialmente responsável. “A Universidade entende que é imprescindível oportunizar a todos os alunos uma formação de qualidade em um contexto inclusivo”, enfatiza.
Para a Coordenadora do Curso de Administração, Luciana Koetz, o objetivo é propiciar maior acesso ao ensino da comunidade surda. ”Esperamos que com esses mesmos princípios da equidade a sociedade receba e integre os egressos, realizando a inclusão destes cidadãos”, completa.

A Unopar Virtual possui alunos em polos localizados em cidades dos estados do Acre, Alagoas, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas gerais, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima e Santa Catarina.
Segundo o MEC o PROLIBRAS é um Exame Nacional para Certificação de Proficiência no uso e no ensino de Libras (instrutor) e serve também para Certificação de Proficiência na Tradução e Interpretação da Libras/Português/Libras (intérprete). Já foram realizadas quatro edições do PROLIBRAS, em todas as capitais brasileiras. O número de tradutores e intérpretes em Libras cresce a cada ano. Em 2010 foram 5.126 novos profissionais formados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário